“Que o TSE investigue como era destinado a verba do fundo partidário do PSL”, dispara Hildegard Pascoal

O vereador Hildegard Pascoal (PSL), usou suas redes sociais no inicio da tarde desta terça-feira, 28, para repudiar o discurso do atual vice-presidente do PSL Acre, Pedro Valério, através de uma nota.

A Nota de repudio, é em resposta ao evento intitulado “Confraternização dos Deputados Estaduais que apoiam Pedro Valério para Deputado Federal” realizado no dia 25 deste mês, onde os convidados seriam somente possíveis pessoas que apoiariam a pré-candidatura de Pedro Valério para Deputado Federal. O Evento foi postado em forma de live no facebook, por uma terceira pessoa.

De acordo com Hildegard, Pedro Valério vem proferindo ataques gratuitos e infundados contra sua pessoa e a outros membros do PSL e diz, que o evento “será motivo de denúncia junto aos órgãos competentes para apuração de possível propaganda antecipada”.

“Não bastasse utilizar da posição de Vice-Presidente do Partido para arregimentar apoiadores à sua candidatura o Senhor Pedro Valério vem, de modo rasteiro e nada democrático, proferindo ataques gratuitos e infundados a esse Vereador e a outros membros do partido como os empresários que são geradores de emprego em nosso estado” diz trecho da nota.

Hildegard ainda afirma na nota, que a permanência de Pedro Valério na direção do partido trouxe inúmeros prejuízos políticos, e que Valério é o único responsável pelo pífio desempenho do PSL nas últimas eleições, elegendo apenas um vereador por todo o interior do Estado do Acre, onde quem coordenava a campanha com exclusividade era Pedro Valério.

O vereador ainda afirma, que o presidente do PSL (na época) quis atribuir a Hildegard a obrigação de “amparar” outros candidatos que concorreram à eleição além de dissociado da verdade demonstra um perfil desagregador e conflituoso o que não se espera de um dirigente de Partido.

“O papel de um Vereador não condiz com o apadrinhamento de familiares de dirigentes do partido, pessoas que sejam por ele (presidente) indicadas ou mesmo que necessitem de sua aprovação” diz a nota.

Diante dos ataques proferidos ao vereador ele afirma que não resta alternativa senão o encaminhamento de requerimentos ao Ministério Público Estadual e Federal, ao Tribunal Regional Eleitoral e ao Tribunal Superior Eleitoral, para levantamento, fiscalização e investigação da destinação e utilização da verba do Fundo Partidário, que eram de inteira responsabilidade de Pedro Valério durante sua gestão.

Ainda de acordo com a nota, contratos que eram redigidos e assinados por Pedro Valério em sua gestão no Partido, envolvia possivelmente locação de veículos envolvendo familiares.

“Reafirmo o compromisso com o partido e com seu estatuto, mas não vou me calar diante de ataques gratuitos ou ameaças de expulsão de nécios e buscarei, inclusive, as vias judiciais caso seja necessário para que cessem os referidos ataques”, finaliza nota.

Procurado por esta redação, para saber mais sobre o assunto, o vereador informou apenas, que tudo o que tinha pra ser dito, está na Nota e “que o TSE investigue como era destinado a verba do fundo partidário do PSL”, tendo em vista, que atualmente o partido é presidido pelo Senador Márcio Bittar.

Confira a Nota na íntegra